Frase andante

"Feliz é aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina." (Cora Coralina)------------------- "Educai as crianças para que não seja necessário punir os adultos." (Pitágoras)

=========================== Bem-vindo(a) =============================

ATENÇÃO. Este blog é apenas mais uma ferramenta de apoio complementar ao conteúdo do livro didático para auxiliar meus alunos e visitantes. Os vídeos e textos apresentados e indicados estão disponíveis na internet e são citados sempre com as referências e fontes. Que este blog seja mais um instrumento de aprendizagem e reforço de conteúdo para todos os visitantes. Seja bem-vindo(a).

====================================================

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Egito antigo - ficha resumo

Egito: civilização e cultura brotam do Nilo.
               
O vale do rio Nilo é a base da civilização egípcia na Antiguidade graças à fertilidade das terras, inundadas todo ano, que recebem a deposição do húmus quando as águas baixam. Para efeito de estudo, a civilização egípcia é dividida em Antigo, Médio e Novo Impérios.
                Na origem, a agricultura e o intercâmbio de produto estimularam a sedentarização e a miscigenação  das tribos na região, que formam um único povo. Durante o Neolítico, surgem as cidades-Estados como Tebas, Mênfis e  Tânis, que se relacionam ativamente. Dois reinos, o Alto e o Baixo Egito, formam-se com a organização de clãs conhecidos como nomos, divisões administrativas da monarquia, governados por nomarcas.  Em 3200 a.C. ocorre a unificação sob uma monarquia centralizada na figura do faraó, soberano hereditário e absoluto, considerado uma encarnação divina.  Por volta de 2700 a.C., constroem-se  as célebres pirâmides de Gizé. Em 2200 a.C., há uma crise de autoridade, e os nomarcas assumem o poder.
                Os faraós retornam por vota de 2000 a.C. Nesse período, há incursões contra os beduínos e a conquista de minas de cobre e pedras preciosas. Mas disputas internas e a invasão dos hicsos, povo do Cáucaso, em 1750 a.C., interrompem a expansão. Os estrangeiros são expulsos em 1580 a.C., e os egípcios se lançam na conquista de territórios que incluem Mesopotâmia, Síria, Palestina, Chipre e Ilhas do mar Egeu. Mas sofrem assédio de gregos, filisteus, etíopes e assírios. Em 525 a.C., são dominados pelos persas e perdem a independência. Em 332 a.C., são os macedônios. Em 30 a.C., tem inicio o domínio romano, marcando a decadência final da civilização egípcia.
                Os egípcios atingem grande avanço científico e tecnológico. Elaboram o primeiro calendário lunar, lançam os fundamentos da geometria e do cálculo complexo, criam a escrita hieroglífica, desenvolvem técnicas de irrigação e de construção naval e erguem monumentais palácios e templos. Politeístas, cultuam deuses com formas humanas e de animais, O maior destaque de sua engenharia são as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos, conhecidas pelo nome dos faraós para os quais serviram de túmulo. Elas são a s únicas das sete maravilhas do mundo antigo que ainda existem.                 Fonte: Almanaque Abril 2011 – Editora  Abril   
                                                                                        
http://profhugoleonardo.blogspot.com/2011/02/egito-antigo.html

Nenhum comentário: